segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Mandala



Mandala é um símbolo que encerra conhecimento e poder. Representa os processos cíclicos de transformação no universo. Pode ajudá-lo a ver dentro e fora de si mesmo, representando a realidade em sua forma mais profunda.
Aciona forças desconhecidas que agem de acordo com as leis universais da criação e manutenção do mundo.
Sua forma gera energia espontânea, podendo ser contemplada, traçada, imaginada, estudada, adivinhada, representada, dançada...
Uma mandala indica o caminho da transformação e do desenvolvimento. É uma ferramenta universal para a resolução de problemas relativos ao ser e à ação.


Toda mandala é útil na pesquisa e descoberta de coisas e ideias novas e na compreensão das já conhecidas.
Pode ser aplicada tanto a assuntos da vida interior, como aos da vida exterior e material.
É instrumento de planejamento e execução, induzindo o exame e a definição de todas as etapas necessárias ao desenvolvimento harmonioso do Homem dentro de um processo de transformação.
Auxilia no autoconhecimento, na psicologia e nas relações interpessoais.
Representa a unidade na multiplicidade,a unidade cíclica ou recorrente, o tempo e a eternidade. Por isso, sempre sugere transformação.
Olhe-a como se fosse você mesmo, não num espelho, mas como outro ser o vê, ou como você veria o seu próximo.
Assim, descubra-se através das mandalas e seja feliz!




terça-feira, 14 de agosto de 2012

Origem e desenvolvimento da terapia auricular


Como mostram todas as pesquisas, a origem do diagnóstico e tratamento pelo microssistema da orelha teve origem na China.
Nos antigos textos do Huang Ti Nei Jing (O Livro do Imperador Amarelo), se observava a estreita relação do pavilhão auricular com o resto do corpo.
Em escavações na província de Hu Nam, antropólogos chineses encontraram, em1973, um livro antigo de período Han, talvez o mais antigo sobre o assunto, onde se declara que:
 “OS MEMBROS, OS OLHOS, A FACE E A GARGANTA, TODOS SE REÚNEM ATRAVÉS DOS CANAIS E VASOS NA ORELHA”.
Depois da fundação da Nova China, o sistema médico neste país ganhou um amplo e rápido desenvolvimento.
Em Dezembro de 1958, Ye Xiao Wu publica na revista de Medicina Tradicional de Shangai os estudos realizados pelo médico francês PAUL NORGIER, sobre a relação de certas zonas do pavilhão auricular com os órgãos internos. Foi NORGIER o primeiro a representar na orelha um corpo na posição fetal.
Descritivamente, admite-se que a orelha simule um feto invertido dentro do útero

Este mapa serviu de grande impulso aos médicos chineses para começar um profundo estudo da auriculoterapia, tanto dentro como fora da china, tomando como base a experiência capturada nos textos antigos, assentando assim as bases da auriculoterapia atual.
A descrição das patologias tratadas com auriculoterapia também obteve um amplo desenvolvimento chegando a validar-se o tratamento em torno de 150 patologias distribuídas em enfermidades de medicina interna, cirurgia, ginecologia, pediatria, otorrinolaringologista, ortopedia etc.
Os estudos passaram a ser realizados dentro das faculdades por médicos da Medicina Tradicional Chinesa e ocidental, aprofundando assim, cada vez mais neste método de tratamento simples e eficaz.
Portanto podemos resumir que com a ajuda de Norgier, os Chineses retomaram uma sabedoria milenar e trouxeram até nós a oportunidade de aprender a auriculoterapia, já bem mais elaborada e comprovada cientificamente.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Sangue bom é sangue limpo

O inhame tem grandes propriedades depurativas e desintoxicantes. Para depurar o sangue, limpar apele, fortalecer o sistema imunológico, revigorar e emagrecer, acrescente ao seu café da manhã por um suco de meio inhame, meia maçã, um copo com água, gotas de limão e hortelã. Fica como um Shake cremoso e delicioso. Pode deixar sua imaginação reinar e acrescentar outras delícias ao inhame e maçã como morangos ou outras frutas. Seu corpo agradecerá!

domingo, 1 de julho de 2012

Qualidade energética no lar


"O padrão vibratório de uma casa "tem relação direta com a energia e o estado de espírito de seus moradores." Tudo o que pensamos e fazemos, as escolhas, os sentimentos, sejam bons ou ruins, são energias. O resultado reflete nos ambientes, pessoas e situações.

O corpo é nossa primeira morada e nossa casa, sua extensão. É ela que nos acolhe, protege e guarda nossa história. Da mesma forma que limpamos, nutrimos e cuidamos da vibração de nosso corpo, devemos estender esses cuidados e carinhos ao lar. Mais que escolher o imóvel e enfeitá-lo com móveis e objetos - muitas vezes guiados apenas por modismos ou pura praticidade -, a elaboração da atmosfera de um ambiente é importante porque reflete a personalidade de seu dono, dando pistas sobre seus gostos, estilo de vida, história e sonhos.

Há quem acredite que, colocando cristais, sinos de vento, fontes, espelhos, instrumentos do feng shui, é possível atrair bons fluídos e equilíbrio para dentro de casa. Mas, é MUITO POUCO, pois a personalidade de um ambiente vai além. Ela é conseguida dia após dia, não apenas com técnicas, mas com pequenos atos de carinho e com muita energia boa.

Além de atrair bons fluídos para nosso lar, temos todas as condições de criá-los no interior do próprio ambiente. O conjunto de pensamentos, sentimentos, estado de espírito, condições físicas, anseios e intenções dos moradores fica impregnado no ambiente, criando o que se chama de egrégora.

Você, com certeza, já esteve em uma residência ou ambiente onde sentiu um profundo bem-estar e sensação de acolhimento, independe da beleza, luxo ou qualquer outro fator externo. Essa atmosfera gostosa, sem dúvida, era dada principalmente pelo estado de espírito positivo de seus moradores. Infelizmente, hoje em dia, é muito mais corriqueiro entrarmos em ambientes que nos oprimem ou nos dão a sensação de falta de paz e, às vezes, até de sujeira, mesmo que a casa esteja limpa. A vontade é ir embora rapidamente, "ainda que sejamos bem tratados."

O que "poucos sabem" é que as paredes, objetos e a atmosfera da casa têm memória e registram as energias de todos os acontecimentos e do estado de espírito de seus moradores. Por isso, quando pensar na *saúde energética de sua casa, tome a iniciativa básica e vital de impregnar sua atmosfera apenas com bons pensamentos e muita fé. Evite brigas e discussões desnecessárias. "Observe seu tom de voz: nada de gritos e formas agressivas de expressão." Não bata portas e tente assumir gestos harmoniosos, cuidando de seus objetos e entes queridos com carinho.

Não pense mal dos outros. Pragas, NEM PENSAR! Selecione muito bem as pessoas que vão frequentar sua casa. Festas, brindes e comemorações alegres são bem-vindas porque trazem alegria e muita energia, mas cuidado com os excessos.. Nada de bebedeiras e muito menos uso de drogas, que atraem más energias…

Se você nutre uma mágoa profunda ou mesmo um ódio forte por alguém, procure ajuda para limpar essas energias densas de seu coração. Lembre-se que sua casa também pode estar contaminada.
Aprenda a fazer escolhas e determine o que quer para sua vida e ambiente onde mora. Alegria, amor, paz, prosperidade, saúde, amizades, beleza já estão bons para começar, não é mesmo?

Reflita sobre como você vive em sua casa, no que pensa, como anda seu humor e reclamações do seu dia-a-dia. 'Tudo isto interfere no seu astral.'” 
Franco Guizzetti

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Poesia é saúde

por Ademildes Rodrigues
“Universo: um verso. Um verso é a expressão mais bonita que há. Além do mais, um verso é um verso para nós mesmos com o qual se podem descobrir todas as nossas potencialidades e que nos fazem fundir com as estrelas; poder voltar a viver a realidade sob a expectativa de uma criança, onde tudo é possível com o pensamento – ter cabelo azul quando desejar, ser um elefante roxo ao sair pela porta e rir porque acabou de falar com uma fada! E tudo isso é verdade! Quem mente é o adulto, que não acredita nos versos, que não se emociona com a vida e que aspira ter o que somente caiba em sua mão!


Um verso merece uma vida!” José Luis Padilla Corral

terça-feira, 19 de junho de 2012

Emagrecer feliz



por Sheila Teixeira

Através do paradigma holístico, reconhecemos a necessidade do emagrecimento como parte do processo de manutenção da saúde integral. O autoconhecimento, o desenvolvimento do amor próprio e auto perdão, juntamente com o bom funcionamento glandular, digestivo e nervoso, deve nortear um programa para o emagrecimento, evitando assim temido efeito sanfona.  Desejamos que o peso adequado seja celebrado com a mesma alegria de quem encontrou a si mesmo. 

Essencial é ter saúde. Essencial é ser feliz!


quinta-feira, 31 de maio de 2012

Shantala

por Sheila Teixeira

Tocar é algo inerente ao ser humano. O resgate do toque dentro da família é uma busca cada vez mais necessária devido ao stress da vida moderna. Pais que desejam estar relaxados e tranquilos junto a seus filhos buscam o conhecimento em terapias alternativas para estabelecer um contato mais profundo com o bebê e auxiliar no desenvolvimento físico e psíquico da criança.
Nesta busca, muitos encontram a massagem como uma forma de ativar a energia contida no corpo do bebê e através do toque, proporcionar o equilíbrio de suas emoções e controle de seus impulsos. 

Para além das questões relativas à ativação da energia vital por meio do toque, a Shantala estabelece maior contato com o bebê, proporcionando o relaxamento, bem-estar.
Estas reações ao toque estimulam o desenvolvimento da autoestima e tem forte influencia sobre a tranquilidade do bebê.

Além desta influência direta no contato com o bebê, a medicina reconhece que a Shantala atua na prevenção de doenças e proporciona inúmeros benefícios como o alongamento dos músculos, o equilíbrio das tensões e bloqueios físicos e psíquicos, alivia cólicas intestinais e facilita o sono tranquilo e profundo, além de ativar o sistema imunológico dos bebês que, a partir do primeiro mês de vida já podem receber a massagem.



Sheila Teixeira é mestra em Reiki, professora de Yoga, terapeuta, orientadora de cursos e palestrante. sheilateixeira@essencialsaude.com.br | www.essencialsaude.com.br


segunda-feira, 28 de maio de 2012

Florais


por Sheila Teixeira
O sistema de florais foi criado por Edward Bach, a quem devemos infinita gratidão e reverência. Edward Bach foi um médico inglês, sensível pesquisador da alma humana. Insatisfeito com os métodos convencionais de tratamento, Dr. Bach especializou-se em homeopatia 1919. Em 1928, pesquisando as possibilidades que a natureza nos oferecia para, não apenas o alívio de sintomas físicos, mas a verdadeira cura que advém de profundas modificações internas, Bach descobriu os três primeiros florais: Mimulus, Impatiens e Clematis.
O trabalho com os florais baseia-se na compreensão e classificação das emoções humanas e sua relação com a “personalidade” ou “assinatura vibracional” das flores. Cada flor, com suas características próprias, auxilia o campo de energia humano a se harmonizar, modificando a estrutura molecular extrafísica, promovendo a alteração no funcionamento dos chacras e, conseqüentemente, no padrão mental e emocional do indivíduo.
A elaboração da essência mãe ou solução estoque pode ser feita pelo método solar ou de fervura. No método solar, as flores são colocadas em recipientes de vidro ou louça, em água pura, de preferência de fonte e expostas ao sol por algumas horas. O método de fervura é usado especialmente para flores de estrutura mais dura.
Com a contraparte etérica ou bioplasmática das flores, as moléculas da água são modificadas em sua conformação, e assim, agem na estrutura humana. Em seu livro “A biologia da crença” Bruce Lipton esclarece que as células humanas são feitas de quatro tipos de moléculas grandes: polissacarídeos (açúcares complexos), lipídeos (gorduras), ácidos nucléicos (DNA/RNA) e proteínas. Mas a o componente mais importante para a vida dos organismos é a proteína.
Cada proteína é uma cadeia ou cordão linear de moléculas de aminoácidos parecida com um colar de contas plásticas coloridas. Essas cadeias são como a coluna vertebral das proteínas, que lhe dão flexibilidade e movimento.
Entre os aminoácidos de uma cadeia, temos a interação de carga eletromagnética que os mantém unidos. O formato final ou conformação de uma molécula de proteína é o resultado do estado de equilíbrio entre suas cargas eletromagnéticas.
A distribuição dessa carga eletromagnética pode ser seletivamente alterada por diversos processos: ligação com outras moléculas ou grupos químicos como hormônios, remoção enzimática ou adição de íons carregados ou mesmo a interferência de campos eletromagnéticos como aqueles emitidos por telefones celulares e microondas.
Sabemos que o campo de energia humano também irradia uma carga eletromagnética que pode ser intensificada pela ação da vontade e do potencial de vitalidade do indivíduo. O mesmo acontece com a matéria bioplasmática das plantas e flores. Suas cargas eletromagnéticas influenciam a conformação das moléculas dos corpos que com ela fazem contato, alterando assim toda a resposta do organismo a determinados estímulos orgânicos, mentais ou emocionais.
A partir dos florais de Bach, muitos outros sistemas de florais foram desenvolvidos. Alguns autores pesquisaram os florais de determinadas regiões, como os florais de Minas, os Californianos, os Australianos. Outros pesquisaram de acordo com o padrão das flores, capazes de atingir determinados tipos de emoções.
Não pretendo nesse estudo falar especificamente de um ou outro sistema, mas desenvolver a compreensão de como os florais atuam nos chacras e como saber escolher o floral adequado a cada pessoa.
Sabemos que cada chacra ou nível de consciência possui características próprias. Assim, reconhecendo e interpretando as ações, emoções e pensamentos do indivíduo, podemos escolher quais os florais capazes de harmoniza-lo.
Alguns autores determinam grupos de florais específicos para os chacras. Eu particularmente acredito que todos os padrões emocionais são referentes a algum chacra, portanto, todos os florais são aplicáveis na harmonização destes desde que estejam em sintonia vibratória.
Passo a seguir, um resumo de alguns dos mais conhecidos sistemas de florais, desejando que você esteja disposto a aprofundar seus conhecimentos. Escolha um sistema inicialmente, familiarize-se com ele. Não se preocupe em decorar, à medida que for investigando casos, algumas essências fixarão em sua mente, outras não. Para isso o homem criou a escrita! Mais importante do que decorar, é compreender os mecanismos de ação e interpretar corretamente as emoções trazidas pelo consulente. Ouça, sinta, investigue e deixe sua razão e intuição serem grandes parceiras na escolha dos florais.

Sheila Teixeira é mestra em Reiki, professora de Yoga, terapeuta, orientadora de cursos e palestrante. sheilateixeira@essencialsaude.com.br | www.essencialsaude.com.br


terça-feira, 22 de maio de 2012

Reiki 3 - a realização


por Sheila Teixeira
O NÍVEL 3 é um nível de consciência avançada, onde somos preparados para atuar em conjunto, com outros seres, na sociedade e no planeta.
Nesse nível ficamos diante de nossas opções de vida e somos levados a reformulá-las, caso sejam opções parciais, que não estimulem o bem comum.           
No NÍVEL 3 recebemos, através do quarto símbolo, um poderoso instrumento  de impulsão para a harmonização do TODO. Esse símbolo não só nos permite curar multidões, mas também nos liga ao âmago dos sentimentos das outras pessoas, permitindo-nos conectar suas partes mais puras, suas porções Divinas.
Fomos despertos no nível 1,  percebendo que não mais precisávamos nos sujeitar ao sofrimento, dor e doença, para que nossa consciência estivesse num processo  de expansão.
O NÍVEL 1 É CENTRADO  NOS PROCESSOS CORPORAIS, nos reflexos do nosso eu inferior que se manifestam no mundo físico.
NO NÍVEL 2 sentimos a necessidade de intervir no que considerávamos “destino”, percebemos  que podemos e devemos fazer e refazer  nossa história pessoal  e que  “livre-arbítrio” é sinônimo de transformação. Nos tornamos caminhantes, em busca não de um Éden desconhecido, mas da essência perfeita do nosso próprio Eu.
O NÍVEL 2 É CENTRADO NOS PROCESSOS EMOCIONAIS, nos resíduos do nosso sentir nos diversos planos, em diversas vidas .
Despertar, transformar, perceber que podemos trazer outras pessoas a esse caminho mais feliz, e só poderemos permitir que muitos recriem seus estados de bem-aventurança  através do nosso Realizar .
O NÍVEL 3 nos participa que temos um poder ilimitado, nos permite exercer esse poder, realizar tudo que nos remeta a eternidade. Não somos únicos em nós mesmos, cada parcela da nossa individualidade está em intrínseco movimento com o universo.
O NÍVEL 3 É CENTRADO NOS PROCESSOS INTERPESSOAIS.

Sheila Teixeira é mestra em Reiki, professora de Yoga, terapeuta, orientadora de cursos e palestrante. sheilateixeira@essencialsaude.com.br | www.essencialsaude.com.br


segunda-feira, 21 de maio de 2012

A parábola da corda


Uma mente apegada a suas crenças é como um homem agarrado a uma corda. Ele se agarra à corda para preservar sua vida, pois sabe que, se soltá-la, cairá para a morte. Seus pais, seus professores e muitos outros lhe disseram que assim é; e quando olha em volta, ele vê que todos fazem o mesmo.
E o sábio se aproxima. Ele sabe que é inútil agarrar-se à corda, sabe que a segurança oferecida é ilusória e apenas nos mantém onde estamos. Assim, procura um modo de dissipar as ilusões daquele homem e ajudá-lo a libertar-se.
Fala da segurança real, da alegria mais profunda, da verdadeira felicidade, da paz de espírito. Diz-lhe que ele pode provar tudo isso, basta soltar um dedo da corda.
“Um dedo” pensa o homem. Um dedo não é muito para arriscar um gostinho do êxtase. E CONCORDA EM FAZER SUA PRIMEIRA INICIAÇÃO.
E sente o gosto de maior alegria, felicidade e paz de espírito. Mas não o suficiente para lhe trazer realização duradoura.
“Podes ter ainda maior alegria, felicidade e paz, diz o sábio, basta soltares um segundo dedo”.
“Isso” pensa o homem, já vai ser mais difícil. Será que consigo? Será que é seguro? Será que tenho coragem? Hesita, flexiona o dedo, sente como seria se soltar a corda um pouco mais… e se arrisca.
Está aliviado por descobrir que não caiu para a morte; pelo contrário, descobre maior felicidade e paz interior.
Seria possível ter ainda mais?
“Acredite em mim, diz o sábio. Não deu certo até agora? Conheço teus medos, sei o que tua mente está a te dizer — que isso é uma loucura, que vai contra tudo que aprendeste — mas, por favor, confie em mim. Olhe para mim, não sou livre? Prometo que estarás a salvo e conhecerás ainda maior felicidade e contentamento”.
“Será que realmente quero tanto a felicidade e a paz interior? Pergunta-se o homem, para arriscar tudo o que tanto amo? Em princípio sim; mas como posso ter certeza de que estarei a salvo, de que não cairei?”
Com uma pequena prece, ele começa a olhar para seus medos, a considerar a fonte de seus medos e a explorar aquilo que realmente quer.
Vagarosamente, sente que seus dedos perdem a tensão e relaxam. Ele sabe que pode fazê-lo. E sabe que precisa fazê-lo. É apenas uma questão de tempo até ele soltar a corda. E quando a solta, uma sensação de paz ainda maior flui através dele. Ele pende agora por um único dedo. A razão lhe diz que já deveria ter caído há um ou dois dedos atrás, mas ele não caiu. “Há algo errado em agarrar-se? Ele se pergunta. Eu estive errado o tempo todo?”
“Esse último dedo depende apenas de ti mesmo, diz o sábio. Não posso te ajudar mais. Mas lembra de que teus medos não tem razão de ser”.
Confiando em sua calma voz interior, ele aos poucos solta o último dedo.
E nada acontece. E fica exatamente onde estava. Então percebe porque, ele estava com os pés no chão o tempo todo. E, ao olhar para o chão, sabendo que nunca mais precisará agarrar-se à corda, ele encontra a verdadeira paz de espírito.
(Richard Bach – Aventuras de Messias indeciso)

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Relaxamento


por Sheila Teixeira
“Aquele que olha para fora dorme, enquanto quem olha para dentro, desperta”. Karl Jung
O silêncio é a meta de quem procura a si mesmo. Através do relaxamento, a mente se aquieta, os batimentos cardíacos diminuem, a atividade cerebral silencia e a alma se liberta.
Relaxar não é dormir. Relaxar é alcançar a abstração dos sentidos para que a mente conecte-se a níveis mais profundos.
Durante o relaxamento, o sistema nervoso se reorganiza, voltando ao estado original de paz e tranqüilidade para o qual fomos criados. A serenidade nos aproxima de Deus. Deus nos fala através do silêncio!
O fluxo energético flui livremente enquanto as células são nutridas através da respiração lenta e profunda, conseqüente de um estado de relaxamento pleno. Esse estado porém só pode ser conquistado com exercícios constantes. O cérebro necessita de tempo e repetições para alterar seu padrão de funcionamento. À medida que o ser se habitua a pratica do relaxamento, naturalmente permanecerá nesse estado ou mais próximo dele na vida cotidiana.
A prática do relaxamento promove o fortalecimento do sistema imunológico, lucidez mental, aumento da memória e rejuvenescimento.
Quando o corpo está tenso, gastamos desnecessariamente muita energia. A atenção voltada para este estado nos faz aprender a relaxar os músculos e sistemas que não estão sendo utilizados naquele instante e isso aumenta nossa cota de vitalidade.
A respiração consciente, lenta e profunda é a porta para o relaxamento. Respire e observe seu corpo durante as atividades diárias, enviando um comando amoroso às partes tencionadas. Repita frases positivas para si mesmo. Faça isso no carro, no trabalho, andando, comendo, em qualquer circunstancia sempre é possível relaxar e permanecer confortável, feliz e saudável.
Para um relaxamento completo, deite-se numa posição confortável, com o rosto voltado para cima, braços e pernas separados. Cuide para que não haja barulhos abruptos durante o relaxamento, como telefones ou campainhas. Separe os braços e as pernas. Se desejar, coloque uma almofada em baixo dos joelhos para não forçar a coluna. Mantenha-se aquecido.
Leve sua consciência para os pés e suba mentalmente, observando parte por parte do seu corpo. Observe a temperatura, as sensações, lembre-se das formas e envie comandos de amor e refazimento a cada parte. Suba até a cabeça. Ou ainda, permaneça apenas prestando atenção no ritmo respiratório.
As técnicas são muitas. O mais importante é que você fique em si mesmo. Como um desbravador, um observador. Como um cartógrafo que deseja mapear um reino desconhecido e precisa prestar atenção aos mínimos detalhes. Sem julgamento, sem medo, sem culpa.
Você imerso em si mesmo, num estado de êxtase profundo, no mais absoluto silêncio da alma.

Sheila Teixeira é mestra em Reiki, professora de Yoga, terapeuta, orientadora de cursos e palestrante. sheilateixeira@essencialsaude.com.br | www.essencialsaude.com.br


quinta-feira, 19 de abril de 2012

Aprenda a controlar a raiva


"Conte até dez e respire fundo. O conselho é antigo mas muito eficiente para a hora de tensão. O departamento de psicologia da Universidade Federal de São Paulo desenvolveu os exercícios abaixo que ajudam quando é preciso recuperar a calma. E o melhor é que as atividades podem ser feitas discretamente na sua mesa do escritório.
1. Sente confortavelmente. Afaste ligeiramente as coxas. Voltadas para baixo, apóie as mãos nas pernas. Relaxe os ombros. Feche os olhos e respire fundo por quatro segundos e encha a barriga de ar. Retenha o ar por dois segundos. Solte o ar por cinco segundos e sinta a barriga se esvaziando. Mantenha toda a atenção voltada aos movimentos respiratórios. Faça o exercício durante cinco minutos.
2. Mantendo o corpo relaxado, focalize a atenção no braço direito. Dobre o pulso e force ligeiramente a mão direita para trás. Mantenha a posição por dez segundos e sinta a tensão. Relaxe o pulso. Respire profundamente. Repita o exercício com a mão esquerda.
3. Focalize a atenção na perna direita. Mantenha o corpo relaxado. Force as pontas dos dedos do pé direito no chão. Levante o calcanhar e faça um pouco de força com os pés. Perceba a tensão. Relaxe o pé. Respire por três segundos. Repita com a outra perna.
4. Mantenha o corpo relaxado. Force os ombros em direção às orelhas. Respire. Perceba a tensão. Relaxe os ombros. Faça movimentos rotatórios com os ombros. Relaxe.
5. Focalize sua atenção no rosto. Franza a testa como se estivesse preocupado. Mantenha a posição por dez segundos. Perceba a tensão que se forma na testa. Relaxe. Respire fundo."
Elisa Tozzi (redacao.vocesa@abril.com.br)  09/03/2010



sexta-feira, 23 de março de 2012

O papel da mente na Radiônica


por Sheila Teixeira

A Radiônica é uma técnica de cura fundamentalmente ligada à manipulação das forças vitais por meios mentais. Assim como um microfone amplifica a voz, os aparelhos radiônicos amplificam os padrões psíquicos do operador, que tem total responsabilidade na qualidade e quantidade de magnetismo emitido durante o tratamento.
Seu potencial é o potencial da mente humana e do poder humano de curar. As únicas limitações que lhe podem ser colocadas são as do conhecimento de cada praticante e da qualidade da sua consciência.
“O pensamento é uma relação entre aquele que pensa e o que é pensado” Ivan Trilha

A energia mental é projetada em forma de ondas e se propaga ao infinito, de acordo com a intensidade e frequência do pensamento do emissor. Estas ondas, quando direcionadas pela vontade a um endereço vibratório, no caso da Radiônica a pessoa à qual se deseja auxiliar, provocam alterações em toda a estrutura eletromagnética do receptor promovendo aumento da organização celular. Assim temos a “cura vibracional”, ou “cura magnética”.
Os cristais potencializam as emissões mentais do terapeuta.  Veja a citação abaixo:
“O curandeiro psíquico tem de lidar com as emanações da sua mão ou do seu campo bioenergético, as quais não apresentam o mesmo nível de coerência que se pode obter utilizando os cristais. O cristal atua basicamente da mesma forma que um aparelho emissor de raios laser: ele capta os raios dispersos de energia e produz um campo energético tão coerente e unidirecional que uma tremenda força é gerada — uma força muito mais forte do que seria possível se as energias fossem emitidas na forma incoerente. Quando usado com amor, portanto, o cristal torna coerentes as energias mentais. Ele transforma essas energias — adequando-as ao padrão exato da energia vital de que a pessoa necessita para ser curada — e, em seguida, amplifica-as para serem utilizadas na cura”. R. Miller, “The healing magic od criystals: Na interview with Marcel Vogel”, science of mind, agosto de 1984.

Sheila Teixeira é mestra em Reiki, professora de Yoga, terapeuta, orientadora de cursos e palestrante. sheilateixeira@essencialsaude.com.br | www.essencialsaude.com.br

segunda-feira, 19 de março de 2012

História e forma de atuação da Radiônica


por Sheila Teixeira

Durante a década de 20, o Dr. Albert Abrams, médico de São Francisco nos Estados Unidos, desenvolveu os primeiros aparelhos radiônicos da modernidade. Estes aparelhos não emitem energia, mas sim, informações codificadas que interagem com a frequência mental do operador sintonizado à frequência do receptor. Os aparelhos radiônicos devem ter um princípio elétrico, magnético ou mecânico em seu funcionamento capazes de amplificar a percepção mental do operador.
Os cristais utilizam o potencial magnético de amplificação e transmissão de informações largamente exploradas nos meios de comunicações atuais. Embora apenas recentemente, mais precisamente do século vinte para cá a ciência oficial tenha se ocupado com o estudo dos cristais, sabemos de seu grande uso em civilizações antigas. Em vários pontos do planeta e em diferentes eras, os cristais são reconhecidos como instrumentos capazes de arquivar e emitir informações. Por isso, mesmo embora com outros nomes, a radiônica é uma técnica utilizada há milênios, mas somente agora formatada em linguagem científica.

Utilizamos a Radiônica como complemento em muitos tratamentos, presencial ou à distância. Em alguns casos ela serve como suporte, a pessoa se trata presencialmente um dia por semana e durante os outros recebe emissões terapêuticas, proporcionando resultados mais rápidos para o consulente.

Sempre houve grandes polêmicas envolvendo o tema desde sua criação pelo Dr. Abrams. Os opositores do sistema sempre o ridicularizaram como algo místico, aludindo ao fato de que na maioria das vezes estas máquinas são compostas por esquemas elétricos infantis, que a utilização dos cristais não tem embasamento científico e que a teoria Radiônica contraria as leis da biologia tradicionalmente aceita.

Como todo conhecimento, ainda há muito que se pesquisar, experimentar e constatar. Pessoas sérias, com a mente disciplinada, vontade firme e um potencial magnético latente, podem encontrar na radiônica uma ferramenta precisa para realizarem a sublime tarefa de contribuir para o equilíbrio, a saúde e a evolução.

Sheila Teixeira é mestra em Reiki, professora de Yoga, terapeuta, orientadora de cursos e palestrante. sheilateixeira@essencialsaude.com.br | www.essencialsaude.com.br

segunda-feira, 12 de março de 2012

Reiki



Na primeira iniciação em Reiki, ouvi minha Mestra dizer que ninguém mais seria o mesmo após aquele dia. Achei um tanto pretensiosa sua afirmação. Nos dias seguintes, a comprovação dessa quase "profecia" foi inquestionável. O Reiki coloriu minha vida. Foi um grande divisor de águas em minha existência.

Quando dei por mim, estava mais bonita, mais cuidadosa da aparência, essas coisas que nos acontecem geralmente quando nos apaixonamos.

Ouvi também, durante o curso, que o Reiki era um caminho de amor! Sempre pensamos em amor como doação ao próximo. Mas foi a partir daí que entendi o amor a mim! O Reiki me fez incluir a palavra TAMBÉM em meu coração. Amar o outro também, perdoar o outro também, cuidar do outro também.

Cumpriu-se em mim a primeira meta que é o Despertar. Despertar da consciência de ser livre, despertar o amor incondicional à pessoa mais importante da estória de minha vida: eu mesma.

E a partir da alegria emanada desse encontro, promover o equilíbrio, a harmonia, o restabelecimento da paz interior em meus semelhantes ficou infinitamente mais fácil e prazeroso! Claro que não acontece assim com todas as pessoas. Esta foi a minha experiência.
Sheila Teixeira

Sheila Teixeira é mestra em Reiki, professora de Yoga, terapeuta, orientadora de cursos e palestrante. sheilateixeira@essencialsaude.com.br | www.essencialsaude.com.br

sábado, 10 de março de 2012

Reiki nível I e técnicas de respiração

O Reiki é uma técnica de transferência bioenergética realizada com as mãos. Aliado à técnicas respiratórias, possibilita maior integração terapeuta/consulente e do consulente consigo mesmo, serenando a mente e promovendo maior concentração.




Sheila Teixeira é mestra em Reiki, professora de Yoga, terapeuta, orientadora de cursos e palestrante. sheilateixeira@essencialsaude.com.br | www.essencialsaude.com.br



sexta-feira, 2 de março de 2012

PSYCH K

PSYCH-K é o nome de um método de alta eficácia, com o qual você pode transformar crenças que limitam sua vida seja vida privada ou profissional.
PSYCH-K é uma mistura de diferentes ferramentas de transformação, algumas de nosso tempo e outras muito antigas. Esse método nos permite a comunicação direta com nosso subconsciente para transformar antigas crenças e hábitos, que nos sabotam, em crenças e hábitos que nos apoiam em nossa vida de hoje. E isso acontece de maneira rápida, simples, efetiva, protetora e em todo nosso ser.
Possibilita melhorarmos nossa saúde, nossos relacionamentos, nossa situação financeira. Foi desenvolvido por Robert Williams em 1988 e desde então apoia pessoas com depressão, fobias, stress.



PSYCH-K desmonta alguns mitos:

1. Preciso saber a causa de um problema para resolvê- lo;
2.Quando tenho uma crença antiga, é demorado transformá- la;
3.E difícil e doloroso transformar crenças antigas. Não há ganho sem dor.

PSYCH-K apoia você para definir seus objetivos claramente, criar a sua própria afirmação que é apropriada para você e seus objetivos de vida.

Venha  transformar seus limites em possibilidades e descobrir seus talentos com PSYCH-K.
Alzira Boechat 

ALZIRA    BOECHAT
Graduada em Letras;
Curso de Gesundheitprakterin e Engelberaterin em Aachen, Alemanha;
Especialista em Visualizacao Criativa;
Organizadora e ministradora do curso "O Poder Dinâmico da Visualizacao Criativa";
Organiza e lidera grupos de desenvolvimento pessoal para o crescimento da auto estima e 
prosperidade na vida das pessoas;
Estudou a Energia do Feminino e Criança Interior em workshops na Bélgica. Desenvolveu sua própria
técnica e usa o método Criança Interior em sua prática terapêutica;
Terapeuta especializada em PSYCH-K Advanced, com o professor americano Larry Valmore, na Suíça;
Mestra em Reiki (Suíca, Alemanha);
Fez viagem de desenvolvimento pessoal à Índia;
Mora atualmente em Estocolmo onde tem seu consultório terapêutico, lidera grupos de crescimento
pessoal e ministra cursos;
Escreve o Jornal de Estocolmo por email e se prepara para transformá-lo em blog.
No Brasil,ministra cursos  e oferece terapia duas vezes por ano
.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Saúde do corpo e da mente


por Sheila Teixeira
Nossos olhos têm ligação direta com o sistema nervoso e suas inúmeras funções.
Através de seus 137 milhões de fotorreceptores, a luz captada pelos olhos é transformada em impulsos elétricos que chegam ao cérebro a uma velocidade de 410 quilômetros por hora.  Grande parte desses impulsos é recebida pelo hipotálamo que coordena e controla a maior parte das funções do corpo.

A programação neurolinguística (PNL), explora os movimentos dos olhos que funcionam como gatilhos que disparam determinados tipos de lembranças sensoriais.
Assim, o conhecimento atual vem corroborar o conhecimento ancestral do yoga, que incentiva a prática do “trataka” (lê-se trátaca) limpeza e purificação dos olhos, através de exercícios simples, mas de fundamental importância para os que desejam manter a saúde do corpo e da mente em harmonia.
O trataka estimula o funcionamento das duas principais glândulas do corpo: a hipófise e a pineal, além de melhorar a visão e prevenir ou reduzir consideravelmente distúrbios visuais como miopia e astigmatismo, vista cansada, dores oculares em geral.
Prática:
Escolha um local calmo e silencioso; sente-se confortavelmente, com as costas naturalmente eretas;
deixe à sua frente o mínimo possível de estímulos visuais como televisão, computadores, quadros, portas, ou qualquer coisa que possa tirar sua atenção;
faça três respirações lentas e profundas;
estique o braço direito à sua frente com o polegar para cima e os dedos flexionados. Fixe o olhar na ponta do polegar;
sem desviar o olhar do polegar,  movimente o braço esticado para cima até onde sua visão alcançar;
lentamente, repita o movimento para baixo, para a esquerda e para a direita, sempre com olhar fixo na ponta do polegar;
traga o polegar até a ponta do nariz; estique o braço novamente e erga o outro braço com a mão na mesma posição; desça e relaxe o braço direito;
repita todas as manobras com o braço esquerdo;
erga o braço direito novamente à altura dos olhos e separe lentamente os dois braços para os lados; olhe simultaneamente para os dois polegares até onde o seu campo de visão permitir;
volte os braços esticados à altura dos olhos;
feche os olhos por alguns instantes; friccione as mãos visualizando uma luz azul celeste entre elas e coloque as mãos sobre os olhos,  massageando com delicadeza.
Repita diariamente ou ao menos uma vez por semana e logo verá os resultados.




Sheila Teixeira é mestra em Reiki, professora de Yoga, terapeuta, orientadora de cursos e palestrante. sheilateixeira@essencialsaude.com.br | www.essencialsaude.com.br